OS AVANÇOS EM 2013
PELA PRIMEIRA INFÂNCIA

Articulação, Gestão do Conhecimento e Práticas são
os três eixos que se integram e definem as estratégias de
atuação da FMCSV, sempre de forma integrada.

É também por meio deles que você, leitor, poderá conhecer
as iniciativas realizadas em 2013 e que fizeram diferença na
vida de milhares de crianças e suas famílias.

Criar pontes para unir esforços

A FMCSV é reconhecida também como uma instituição articuladora e
preparou sua equipe para “unir pontas”. Isto porque a organização
acredita que mudanças substanciais exigem uma atuação focada e
conjunta dos três setores: governo, iniciativa privada e sociedade civil
organizada.

LÍDERES AFINADOS COM A CAUSA

A FMCSV também sabe que não adianta “cobrar” soluções de líderes e decisores sem que haja
uma ampla discussão e a troca efetiva de experiências bem-sucedidas na área da infância, assim
como subsídios de gestão para que os responsáveis sintam-se fortalecidos para as tomadas de
decisões.

O Programa de Liderança Executiva em Desenvolvimento da Primeira Infância, realizado pelo
NCPI, do qual a FMCSV faz parte, é uma iniciativa que responde a esses quesitos, motivando
gestores públicos, pesquisadores e líderes sociais a encontrar soluções integradas de qualidade
para a rede de atendimento de gestantes, famílias, pais e da criança pequena.
O Programa, que em 2013 formou a segunda turma, é composto por dois módulos. O primeiro
acontece na Universidade de Harvard, EUA, onde os participantes permanecem por uma semana
aprendendo conceitos científicos e técnicas de liderança com os maiores experts acadêmicos do
tema, nacionais e internacionais.

Três meses depois é realizado o segundo módulo, no Brasil, quando o grupo apresenta Planos de
Ação focados na Primeira Infância e construídos a partir do que foi apreendido em Harvard,
discutido com os colegas de grupo de trabalho e acrescido da experiência de cada um.

Em 2013, o Programa contou com 47 participantes, dentre eles, secretários de estado,
representantes dos Ministérios da Educação, Saúde e Desenvolvimento Social, dez deputados
federais, as primeiras-damas das cidades de São Paulo e de Fortaleza, a presidente nacional da
ABMP (Associação Brasileira de Magistrados e Promotores de Justiça pela Infância e Juventude)
e a presidente nacional da Undime (União Nacional de Dirigentes Municipais da Educação).

Os principais resultados desse encontro foram catorze planos de ação, que estão sendo
implementados em diversas partes do País, como é o caso do Marco Legal para a Primeira
Infância, o Comitê Estadual pela Primeira Infância em Goiás, o Programa São Paulo Carinhosa, o
Programa Cresça com seu Filho de Fortaleza, dentre outros.

A iniciativa é uma estratégia bem-sucedida para fortalecer o olhar integral e integrado dos
decisores sobre o desenvolvimento da criança de zero a seis anos, traduzindo-o em programas e
políticas públicas de impacto. É também um espaço importante de trocas entre diversos saberes
e áreas de atendimento, gerando uma articulação intersetorial para que toda a rede possa ser
analisada e repensada com o foco prioritário na Primeira Infância.

A iniciativa é uma estratégia
bem-sucedida para fortalecer o
olhar integral e integrado dos
decisores sobre o desenvolvimento
da criança pequena, traduzindo-o
em programas e políticas públicas
de impacto.

Novas soluções para velhos problemas

Uma das iniciativas que marcaram 2013 foi a parceria
com o Programa Saving Brains (‘Salvando Cérebros’),
criado pela organização Grand Challenges Canada
para financiar ideias inovadoras que ajudem a
promover o desenvolvimento infantil durante os
primeiros mil dias de vida, incluindo o período da
gestação, cuidando dos aspectos emocional,
cognitivo e social da criança pequena dos países de
média e baixa renda.

O Grand Challenges Canada já investiu cerca de 28,6
milhões de dólares canadenses em quarenta
iniciativas do Saving Brains. Com a parceria, a FMCSV
ajudou a abrir espaço, pela primeira vez, aos projetos
brasileiros e ainda articulou o apoio da Fundação
Bernard van Leer para compartilhar o financiamento,
em torno de um milhão de reais, às iniciativas no
Brasil.

Além de investidora, a FMCSV atuará como
facilitadora das instituições participantes, monitorando
a implementação das ações e buscando parceiros
apoiadores.

O edital para as inscrições dos projetos foi anunciado
no dia 12 de novembro de 2013 e permaneceu aberto
até janeiro de 2014.

Participaram da seleção ONGs, universidades, ou
empresas sempre em parceira com prefeituras e
governos estaduais.

Estamos orgulhosos de unir forças com a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal no âmbito do Programa Saiving Brains. A FMCSV tem mostrado determinação e liderança para disseminar a ciência do desenvolvimento infantil no Brasil. Através de articulações, práticas e gestão do conhecimento, e trabalhando com diferentes atores em diferentes níveis, a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal trilha caminhos seguros para melhorar a vida das crianças. Em uma sociedade onde a desigualdade social está presente existe um enorme risco do desenvolvimento saudável da criança ficar comprometido. O foco da FMCSV na Primeira Infância pode qualificar as ações para o cuidado das crianças pequenas no Brasil.

A PRODUÇÃO CIENTÍFICA PELA PRIMEIRA INFÂNCIA

O que tem sido feito pela criança pequena no universo científico? Em quais áreas
há carência de pesquisas efetivas que contribuam ao desenvolvimento infantil?
Estas e outras questões são debatidas por pesquisadores brasileiros, que se
reúnem no Fórum Científico, iniciativa do NCPI, com a missão de monitorar a
produção científica sobre temas relativos à infância, apontar onde estão as lacunas
e indicar quais conteúdos prioritários devem ser comunicados à sociedade para
ampliar a conscientização sobre a importância da Primeira Infância no
desenvolvimento humano do País.

Em 2013, o Fórum realizou dois eventos, produziu onze levantamentos de produção
científico de diferentes áreas e universidades e iniciou a produção de um documento
que será publicado em 2014 para inspirar formuladores de políticas públicas.

A UNIVERSIDADE E O DESENVOLVIMENTO INFANTIL

Em 2012, a FMCSV e a Universidade de São Paulo (USP) lançaram o edital de Projetos de Extensão para viabilizar a transformação do conhecimento acadêmico em intervenções concretas que favoreçam o desenvolvimento infantil, dando origem ao projeto Ações para o Desenvolvimento Integral na
Primeira Infância.

Puderam participar do edital docentes da Universidade de São Paulo, de qualquer área do conhecimento.

Após o encerramento das inscrições, em 2013, a Comissão, formada por professores da USP e representantes da FMCSV, analisou 34 projetos e foi surpreendida pela variedade de temas
e a ampla adesão dos docentes.
Deste grupo, cinco propostas foram escolhidas e têm o período de janeiro a abril de 2014 para
consolidar estratégias, parcerias e demais processos para sua implantação posterior.

A parceria FMCSV e USP vai ao encontro da missão social que cabe às universidades em
aproximar sua vasta gama de conhecimentos da população, traduzindo-a em ações efetivas que
promovam mais oportunidades de desenvolvimento, neste caso, à criança pequena.

Os cinco projetos selecionados

Projeto Promoção do Desenvolvimento
de Crianças de 0 a 6 anos:
intervenções educativas para pais e
profissionais da Saúde, de Maria Beatriz
Martins Linhares, da Faculdade de
Medicina de Ribeirão Preto.

Projeto Formação de Profissionais
para Atuação Intersetorial na
Promoção do Desenvolvimento
Infantil, Detecção de Sinais Iniciais de
Problemas e Intervenção Oportuna
no Município de Guarulhos, de
Rogério Lerner, do Instituto de
Psicologia

Projeto Kits Lúdicos Destinados às
Famílias, Crianças e Profissionais da
Educação, de Tizuko Morchida
Kishimoto, da Faculdade de
Educação

Projeto Formação de Agentes
Comunitários de Saúde para a
Promoção de Ações Voltadas ao
Desenvolvimento Infantil, de Lislaine
Aparecida Fracolli, da Escola de
Enfermagem.

Projeto Joaninha - Jogar, Observar,
Aprender, Narrar: Investigando
Natureza, Humanidades e Arte na
Pré-Escola, de Luís Paulo de
Carvalho Piassi, da Escola de Artes,
Ciências e Humanidades.

Tive contato com a Fundação devido ao convite que recebi para participar do curso de liderança executiva. Desde antes do curso senti profissionalismo e seriedade de todos da equipe. A Fundação, agora, é uma das minhas principais fontes para o tema da Primeira Infância.

A PRIMEIRA INFÂNCIA NA MÍDIA

Levar o tema do desenvolvimento infantil ao centro
da pauta da imprensa é um dos objetivos da FMCSV.

Isto porque, um maior conhecimento da sociedade
sobre o papel da Primeira Infância no
desenvolvimento humano, levará a uma natural
cobrança por ações e políticas públicas mais
efetivas, e nossas crianças receberão a assistência
necessária para crescerem saudáveis e atingirem o
melhor de seu potencial.

Nesse sentido, a FMCSV empreende esforços para
estreitar os laços com a imprensa. Um deles foi a
realização, em parceria com o Instituto C&A e a
Fundação Abrinq, em março de 2013, de um
Workshop com Jornalistas.
Participaram do evento representantes das revistas
“Crescer”, “Cláudia Bebê” e “Pais & Filhos”, dos
jornais “Correio Braziliense” e “Diário de
Pernambuco” e do portal iG.

Durante todo o ano, matérias e reportagens relativas
à criança pequena e à FMCSV e seus parceiros
preencheram páginas de jornais e de revistas
impressos e virtuais e foram veiculadas em emissoras
de TV, rádio e na internet, por meio do trabalho de
nossa assessoria de imprensa.

No total, tivemos 630 menções à causa do desenvolvimento infantil e à organização, com destaque
aos jornais de veiculação nacional “O Estado de São Paulo”, “Folha de S.Paulo”, “O Globo” e “Valor
Econômico” e aos regionais “Correio Braziliense” e “Diário de Pernambuco”.

As revistas “IstoÉ”, “Pais & Filhos” e “Crescer” usaram a FMCSV como fonte para matérias sobre
Primeira Infância, assim como os portais UOL, G1, R7, iG
e MSN.

Na TV, a Primeira Infância foi pauta de reportagens na “TV Globo” (Programa Bem Estar) e na “TV
Cultura”. No rádio, a “Jovem Pan” de São Paulo também falou do tema.

INVESTIR NA PRIMEIRA INFÂNCIA PARA SEMEAR O FUTURO

As ações que favorecem o desenvolvimento infantil precisam de
subsídios financeiros que garantam sua implementação e
sustentabilidade. Pensando nisso, em 2012 a FMCSV, com o
incentivo da Fundação Bernard van Leer, reuniu fundações e
institutos empresariais, criando o grupo de Investidores Sociais
para potencializar recursos, concentrando-os em projetos realmente
promissores que gerem impacto positivo na realidade da Primeira
Infância.

A iniciativa deu frutos. Em dezembro de 2013, sob a coordenação da
RNPI (Rede Nacional Primeira Infância), da qual a FMCSV faz parte,
foi elaborado o projeto do Observatório Nacional da Primeira Infância.

O grupo de Investidores Sociais contou, em 2013, com a Brazil
Foundation, CEAL (Conselho Empresarial da América Latina),
Fundação Abrinq, Fundação José Luiz Egydio Setúbal, Gife, Instituto
Alana, Instituto C&A, Instituto Camargo Corrêa, Setor Dois e Meio e
United Way.

BLOGUEIRAS: ALIADAS DA PRIMEIRA INFÂNCIA

No seu trabalho de articular e unir forças em favor da criança pequena, em 2013 a FMCSV
identificou importantes porta-vozes da causa: as mães blogueiras.

Para criar um canal de relacionamento com essas agentes sociais, a organização realizou um
Workshop em junho, na sede da FMCSV. Na ocasião, foram apresentados os resultados da
pesquisa de 2012, feita pelo Ibope, sobre a percepção da população com relação ao tema
Primeira Infância no contexto do dia a dia.

As blogueiras, de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina e Distrito Federal,
saíram motivadas do encontro e entenderam a função que exercem com seus textos,
ótimas ferramentas para conscientizar os pais sobre seu papel, seus direitos e deveres
que devem assumir para propiciar um melhor bem-estar e desenvolvimento da criança
pequena.

Para perpetuar um canal de comunicação com essas mães, a FMCSV criou um
grupo de discussão no Facebook para troca de informações e divulgação de
eventos.

Apoio a ações pela
primeira infância

Como em todos os anos, em 2013, além de
protagonizar iniciativas em favor do desenvolvimento
infantil, a FMCSV apoiou e/ou patrocinou programas,
projetos e eventos que tinham como foco fortalecer a
causa da Primeira Infância. Confira as principais ações:

  • Observatório do Plano Nacional de Educação – Educação Infantil

    O objetivo dessa iniciativa, lançada em dezembro e coordenada pelo movimento Todos pela Educação, é monitorar os avanços relativos às metas estabelecidas pelo PNE (Plano Nacional de Educação). Além de investidora, cabe à FMCSV colaborar com a consolidação do cenário da educação infantil. Para isso, a organização produziu, em 2013, as primeiras análises e informações sobre esse cenário.

  • Observatório Nacional da Primeira Infância

    Este é o primeiro projeto apoiado conjuntamente por parte dos membros do Grupo de Investidores pela Primeira Infância, uma das ações de articulação da FMCSV. O objetivo da inciativa é monitorar o andamento das metas estabelecidas pelo Plano Nacional da Primeira Infância nas políticas públicas governamentais para que se possam definir práticas próprias às diversas infâncias que compõem o cenário brasileiro.

  • Seminário Primeira Infância: direito à creche e desafios à ampliaçãodo acesso com equidade e qualidade

    Realizado em outubro de 2013, pela parceria ABMP, Prefeitura Municipal de São Paulo e Undime, o seminário é um dos frutos colhidos pelo Programa de Liderança Executiva. O encontro teve como objetivo reunir os diversos olhares sobre o tema e subsidiar a elaboração de um documento que pudesse embasar futuras discussões relativas à tensão existente entre o legítimo direito da população à creche e a equidade do acesso em uma realidade de impossibilidade do poder público para atender efetivamente essa demanda.

  • Seminário de Avaliação e Investimento Social Privado: Metodologias

    O evento reuniu 205 profissionais na cidade do Rio de Janeiro, em julho de 2013. Promovido pelas Fundações Itaú Social, Roberto Marinho, Move e FMCSV, em parceria com a Fundação Santillana e o GIFE, teve como objetivo apresentar as possibilidades e os limites de utilização de métodos mistos, colaborativos e experimentais em avaliação de projetos e programas sociais.

  • Seminários Regionais da Associação Brasileira de Magistrados, Promotores de Justiça e Defensores Públicos da Infância e da Juventude

    Assim como em 2012, em 2013 a FMCSV apoiou ações da associação e realizou quatro mesas de discussão para levar o tema Primeira Infância aos encontros dos profissionais que podem ampliar e fortalecer a rede judiciária de cuidados à criança pequena. Cerca de 350 profissionais participaram das mesas de discussão. O objetivo do debate era oferecer subsídios conceituais aos magistrados, promotores e defensores públicos referentes à temática para que criem soluções que potencializem uma Primeira Infância brasileira mais digna e justa.

  • V Seminário da Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação

    Realizado em setembro, na Unicamp, em Campinas, SP, com a participação de 200 pessoas. A FMCSV organizou a mesa de discussão sobre instrumentos de avaliação da qualidade da educação e do desenvolvimento infantil.

  • Frente Parlamentar da Primeira Infância

    Vinte parlamentares, que participaram das primeiras duas edições do Curso de Liderança Executiva, saíram do evento com um desafio, formalizado nos planos de ação que desenvolveram no curso: trabalhar pela elaboração do Marco Legal pela Primeira Infância. Em 2013, esse grupo de políticos, que compõe a Frente Parlamentar, começou a esboçar o que será o marco, dando os primeiros passos para sua estruturação. Houve a realização do Seminário Internacional “Marco Legal da Primeira Infância”, em abril, que contou com a presença de 150 participantes.

  • Negócios sociais

    A parceria da FMCSV com a NESST tem como objetivo avaliar se existem negócios sociais focados no desenvolvimento da criança pequena no Brasil, onde eles estão, que problemas solucionam e quais são seus impactos e inovações. A NESST é uma instituição que desenvolve negócios sociais sustentáveis para resolução de problemas críticos em mercados emergentes. Para chegar a esse cenário, foram realizadas entrevistas com especialistas, pesquisas em diversas fontes, nacionais e internacionais, envolvendo uma consulta com cinquenta profissionais para identificar desafios, oportunidades, impactos e perspectivas para o segmento. Em dezembro de 2013, a NESST apresentou esse mapeamento, concluindo que é possível identificar alguns arranjos que apontam para o potencial de crescimento de negócios sociais voltados à Primeira Infância brasileira.